Governador Alckmin entrega ETE de Aparecida

Tratamento de esgoto contribuirá para despoluição do rio Paraíba do Sul e da bacia hidrográfica deste curso d’água

Um dos mais importantes sistemas de saneamento do Estado de São Paulo, o governador Geraldo Alckmin entregou no último sábado, 28 de setembro, a ETE (Estação de Tratamento de Esgotos) “Ponte Alta”, na Estância Turístico Religiosa de Aparecida. A solenidade contou com a participação do Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos, Edson Giriboni, do diretor da regional do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica), em Taubaté, Nazareno Mostarda, e do prefeito Antônio Márcio de Siqueira.

Inauguração da ETE de Aparecida

 A obra faz parte do programa Água Limpa, coordenado pelo DAEE. O Governo do Estado investiu R$ 22,3 milhões na implantação do complexo, que inclui 18 mil metros de interceptores e emissários de esgoto; 8 estações elevatórias; e de um sistema de tratamento de esgoto por lodo ativado com aeração prolongada.

Vista aérea da ETE de Aparecida

Localizada às margens do rio Paraíba do Sul, junto à Fábrica de Papel Nossa Senhora de Aparecida, a ETE “Ponte Alta” tem capacidade para tratar 100% dos esgotos domésticos de até 42 mil habitantes (população projetada para 2030) do município - além dos mais de 150 mil peregrinos e turistas que recebe por semana -, até então lançados “in natura” no rio Paraíba do Sul. O despejo de esgotos sem tratamento nos rios pode provocar epidemias de doenças transmitidas pela água, como hepatite e tifo, com impacto direto no custo do tratamento de água para abastecimento público das cidades localizadas a jusante de Aparecida. A ETE permitirá a remoção de aproximadamente 306 toneladas/mês de carga orgânica jogadas no rio Paraíba do Sul, contribuindo para a revitalização de toda a Bacia Hidrográfica deste curso d’água.

 

Governador verifica água tratada pela ETE de Aparecida 

O ÁGUA LIMPA- O Programa Água Limpa foi criado em 2005, por meio de uma ação conjunta da Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos, o DAEE e a Secretaria da Saúde, com objetivo de implantar sistemas de tratamento de esgotos em municípios com até 50 mil habitantes não atendidos pela Sabesp.