DAEE prepara restauração da “casa sede” do núcleo Itaim Biacica

O DAEE está investindo R$ 622,6 mil no desenvolvimento de projetos para restauração da antiga sede da fazenda Biacica, um casarão com arquitetura luso-brasileira, onde, segundo registros históricos, a Ordem de Nossa Senhora do Carmo teria mantido uma capela construída no século XVII.

Localizado no núcleo Itaim Biacica, do Parque Várzeas do Tietê, o casarão abrigará um centro de educação ambiental. Em sua porta principal, de três metros de altura em madeira de lei, é possível ver a data de 1682 gravada no alto. No século passado, quando pertencia à família Fontoura, o imóvel ganhou novos cômodos ao redor e uma varanda na frente, onde ficam dois painéis com desenhos em azulejos portugueses. Neles, estão representadas a chegada dos portugueses em São Paulo em 1532 e a catequização dos índios pelos jesuítas em 1554. A obra é datada do ano de 1952. O conjunto é tombado pelo Patrimônio Histórico em 1994, medida que havia sido sugerida pelo escritor Mário de Andrade em 1937, quando a visitou como técnico do IPHAN.



NÚCLEO ITAIM BIACICA


O casarão faz parte do projeto do Núcleo de Lazer, Cultura e Esporte do Jardim Itaim Biacica. Localizado na Estrada da Biacica, 756 – Bairro Itaim Paulista, Distrito Jardim Helena, o núcleo faz parte do Parque Várzeas do Tietê. O local foi escolhido por estar próximo à Estação Itaim Paulista da Linha 12 - Safira da CPTM e ao Viaduto Carlito Maia, no município de São Paulo, permitindo boa acessibilidade.

O DAEE está investindo R$ 8,7 milhões na implantação do núcleo, que contará com um campo de futebol society, duas quadras poliesportivas, sala para educação ambiental, academia e salas para atividades da terceira idade, biblioteca, oficina de leitura e prosa, playground, 16 churrasqueiras, lanchonete, posto da guarda civil municipal, vestiários, trilhas, estacionamentos, além de instalações administrativas e de manutenção. As obras começaram em abril de 2016 e a expectativa é concluí-las em outubro deste ano.

Este é o segundo núcleo esportivo e cultural da primeira etapa do Parque Várzeas do Tietê, que será implantada em 25 quilômetros de extensão do rio Tietê, da barragem da Penha até a divisa com o município de Itaquaquecetuba. O objetivo é contribuir para minimizar os efeitos da ocupação desordenada e dos consequentes problemas ambientais, urbanísticos e sociais, além do controle de enchentes nas zonas urbanas.

O PVT conta também com o núcleo da Vila Jacui, inaugurado em março de 2010.