DAEE renova contrato para desassoreamento de 41,2 KM do Tietê em São Paulo




Máquinas vão remover 1,3 milhões de metros cúbicos de sedimentos depositados no fundo do canal. O trabalho é realizado com escavadeiras hidráulicas em plataformas flutuantes e barcaças para transporte do material dragado.


O DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) está renovando o contrato para limpeza e desassoreamento de 41,2 mil metros do rio Tietê, no trecho entre a Barragem da Penha e o lago da barragem Edgard de Souza. O Governo do Estado vai investir R$ 55,5 milhões nos próximos 22 meses na remoção de 1 milhão de metros cúbicos de sedimentos depositados no fundo do canal. O trecho está dividido em duas frentes de trabalho: da Barragem Edgard de Souza ao Cebolão, (16,5 quilômetros), englobando os municípios de Santana de Parnaíba, Barueri, Carapicuíba e Osasco; e do Cebolão à Barragem da Penha (24,5 quilômetros), no município de São Paulo.

O trabalho inclui também a manutenção e operação das barragens Móvel e da Penha, do conjunto de pôlderes localizados nas pontes do Limão (margem direita), Vila Maria (margem direita e margem esquerda), Vila Guilherme (margem esquerda) e Aricanduva (margem direita e margem esquerda); dos taludes e bermas do rio Tietê na cidade de São Paulo, no trecho das avenidas marginais entre a Barragem da Penha e o Cebolão, com remoção de areia, lixo e vegetação que cresce nas bermas (plataforma localizada na base dos taludes) e reparo de trincas nos taludes de concreto.

Ricardo Borsari, Superintendente do DAEE, destaca que “este é um trabalho fundamental para garantirmos a capacidade de vazão do rio Tietê e minimizar o risco de inundações em todo o trecho, beneficiando os municípios de São Paulo, Guarulhos, Osasco, Carapicuíba e Barueri”.