CRAS alerta para período reprodutivo de patos, marrecas e paturis




Entre os meses de novembro a março é muito comum encontramos filhotes de patos, marrecas e paturis perdidos ou acuados nas metrópoles, já que esse período é o de reprodução desses animais.

A proximidade cada vez maior da cidade com a natureza e aparência dócil fazem desses animais presas constante do trafico ou até mesmo de morte por queimadas e atropelamentos.

Por esse motivo, o CRAS (Centro de Recuperação de Animais Silvestres) do Parque Ecológico do Tietê, que recebe todos os anos dezenas de filhotes resgatados por cidadãos e órgãos fiscalizadores do Estado de São Paulo, alerta que ao encontrar esses animais perdidos deve-se entrar em contato com a Polícia Ambiental que realizará o resgate dos filhotes.

Os animais resgatados são levados para centros de recuperação como o CRAS, que após passar por um período de reabilitação e cuidados poderão ter uma segunda chance, voltando para natureza.


O CRAS


Há mais de 30 anos, o CRAS recebe diversas espécies pelas mãos de profissionais ligados ao IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), à Polícia Militar Ambiental, ao Corpo de Bombeiros e ao Centro de Controle de Zoonoses. Em alguns casos especiais, são entregues de forma voluntária por seus proprietários, que os mantinham em cativeiro como bichos de estimação.

A unidade realiza um importante papel em prol do meio ambiente, pois trata de animais apreendidos ou resgatados pelos órgãos fiscalizadores. Inaugurado em 1986, o CRAS cuida de várias espécies, desde as mais comuns até às ameaçadas de extinção. Anualmente, recebe em média sete mil animais. Após a recepção, mamíferos, répteis e aves são identificados por espécie, sexo e procedência, passam por uma avaliação de seu estado físico para obter o tratamento mais adequado e são registrados para, finalmente, receberem uma anilha ou microchip com seus dados. Vale ressaltar, que o núcleo atende apenas animais de pequeno porte, tais como araras, papagaios, gavião, macacos, cobras, tartaruga e jabutis, além de muitos pássaros.

Para atender a demanda dos bichos enviados para o CRAS é mantida uma equipe composta por veterinários, biólogos e tratadores em uma estrutura totalmente adaptada com ambulatório e laboratório, viveiros, salas de internação, cirurgia e de necropsia, além de cozinha para o preparo da alimentação animal, atuando em uma área total de 600 mil metros quadrados.

Como denunciar o tráfico ilegal?

- IBAMA: (11) 3066-2633 ou Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
- Polícia Ambiental: 0800-55-51-90 ou Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
- Polícia Federal: (61) 311-80000 ou Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.