CRAS recebe 100 aves de apreensão




Na última semana, o CRAS (Centro de Recuperação de Animais Silvestres) recebeu mais de 100 aves em uma apreensão da Polícia Civil. Os animais foram encontrados em péssimas condições de saúde, aglomerados em transportes imundos em uma casa em Francisco Morato.

Dentre as 105 aves apreendidas, estão 10 espécies: Gaturamo-verdadeiro (Euphonia violacea), Pássaro preto (Gnorimopsar chopi), Tiê-de-topete (Lanio melanops), Trinca-ferro (Saltator similis), Pintassilgo (Sporagra magellanica), Bicudinho (Sporophila crassirostris), Saíra cabocla (Tangara cayana), Sanhaçu-de-encontro-azul (Tangara cyanoptera), Sanhaçu-de-encontro-amarelo (Tangara ornata)e Sanhaçu-do-coqueiro (Tangara palmarum).

As aves foram avaliadas e passam por um processo de reabilitação, para que assim, em um futuro próximo, possam voltar ao seu habitat natural.

O CRAS fica no PET (Parque Ecológico do Tietê) e é administrado pelo DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica).

O CRAS

Há mais de 32 anos, o CRAS recebe diversas espécies pelas mãos de profissionais ligados à Polícia Militar Ambiental, ao Corpo de Bombeiros e ao Centro de Controle de Zoonoses e IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). Em alguns casos especiais, são entregues de forma voluntária por seus tutores, que os mantinham em cativeiro como bichos de estimação.

A unidade realiza um importante papel em prol do meio ambiente, pois trata de animais apreendidos ou resgatados pelos órgãos fiscalizadores. Inaugurado em 1986, o CRAS cuida de várias espécies, desde as mais comuns até às ameaçadas de extinção. Anualmente, recebe em média doze mil animais. Após a recepção, mamíferos, répteis e aves são identificados por espécie, sexo e procedência, recebem uma anilha ou microchip com seus dados, passam por uma avaliação de seu estado físico para obter o tratamento mais adequado. Depois dos tratamentos e recuperação, os animais que estão aptos para voltar à natureza, serão repatriados e soltos, já os que não tem mais como, são enviados à criadouros autorizados ou zoológicos. O núcleo atende animais silvestres tais como araras, papagaios, gavião, macacos, cobras (não peçonhentas), tartarugas e jabutis, jaguatiricas, além de muitos pássaros, entre outros.

Para atender essa demanda, o CRAS mantém uma equipe composta por veterinários, biólogos e tratadores e conta com uma estrutura com ambulatório e laboratório, viveiros, salas de internação, cirurgia e de necropsia, além de cozinha para o preparo da alimentação animal, atuando em uma área total de 600 mil metros quadrados.

COMO DENUNCIAR O TRÁFICO ILEGAL?

• IBAMA: (11) 3066-2633 ou Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
• Polícia Ambiental: 0800-55-51-90 ou Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
http://www.ssp.sp.gov.br/depa

ENTREGA VOLUNTÁRIA

Para a entrega voluntária de um animal silvestre, é necessário ligar previamente para a verificação de vagas e aceite da espécie em questão.
Mais informações pelo telefone: 2958-1477.