Parque Ecológico do Tietê

“Como subproduto das obras de retificação do rio Tietê, concebeu-se o Parque Ecológico do Tietê, proposta urbanística da maior significação para a região metropolitana de São Paulo"

Criação: Decreto Estadual 7.868 de 30 de abril de 1976
Inauguração: 14 de março de 1982
Projeto Arquitetônico Paisagístico - Arquiteto: Ruy Ohtake



O PET (Parque Ecológico do Tietê) possui uma área de 14,1 milhões m²:  Desse total, 14 milhões m² pertencem ao Núcleo Engenheiro Goulart e 171 mil m² ao Núcleo Vila Jacuí. O Pet equivale a 5 Central Parks ou a 11 Ibirapueras.

Administrado pelo DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica), órgão subordinado à Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do Governo do Estado de São Paulo, o parque está subdividido em dois núcleos e ele, por sua vez, está inserido no projeto Parque Várzeas do Tietê, concebido para devolver as várzeas naturais ao rio Tietê e, consequentemente, proteger a população dos efeitos das chuvas, uma vez que essas áreas retêm as águas fluviais quando ocorrem inundações.

Criado em 30/04/1976, pelo governador Paulo Egydio Martins, o PET foi inaugurado em 14/03/1982. A iniciativa surgiu com o objetivo de preservar o rio Tietê e um pouco de suas várzeas, além de possibilitar uma área de lazer para a população da Região Metropolitana de São Paulo.

Além de sua função de preservar a fauna e a flora da várzea do rio, o Parque Ecológico do Tietê proporciona aos seus usuários uma série de atividades culturais, educacionais, recreativas, esportivas e de lazer, recebendo mensalmente a média de 330 mil visitantes: 300 mil só no seu Núcleo Engenheiro Goulart e 30 mil no Núcleo Jacuí - também na Zona Leste.

O PET está dividido em dois núcleos de lazer:


Página 1 de 5
Próximo>>
(Núcleo Engenheiro Goulart - Cangaíba)

Adicione esta página aos seus favoritos