24 de novembro – Dia do Rio

O Dia do Rio, celebrado em 24 de novembro, surgiu para reforçar o cuidado com os cursos d’água. A cada ano, essa preocupação tem se mostrado cada vez mais necessária e urgente por causa das mudanças climáticas e de seus efeitos drásticos, infelizmente bastante sentidos pela população.
O Dia do Rio, celebrado em 24 de novembro, surgiu para reforçar o cuidado com os cursos d’água. A cada ano, essa preocupação tem se mostrado cada vez mais necessária e urgente por causa das mudanças climáticas e de seus efeitos drásticos, infelizmente bastante sentidos pela população.

Olhemos para o Brasil neste 2023, por exemplo. Na região Norte, os caudalosos rios amazônicos praticamente secaram, criando imagens impensáveis de bancos de areia onde antes passavam barcos repletos de passageiros e de carga.

No começo do ano, chuvas torrenciais fizeram os rios transbordarem e provocaram uma tragédia no litoral paulista, com mortes, feridos e destruição. Segundo o Centro Nacional de Previsão de Monitoramento de Desastres (Cemaden), os acumulados de chuva alcançaram 683 milímetros em Bertioga, 627 mm em São Sebastião e 355 mm em Ubatuba dentro de um período de 24 horas.

Foi o recorde histórico do país, superando o temporal de Petrópolis, no Rio, que teve 530 mm em 24 horas. E de quando era esse pico anterior? De apenas um ano antes, 2022. Ou seja, em um intervalo de um ano, o Brasil viu ser quebrado o recorde de pior tempestade, que era até então de Florianópolis, no longínquo 1991, com 400 mm em um dia.

Pensar nos nossos rios atualmente significa planejar a gestão dos recursos hídricos sob um novo olhar. Os desafios impostos pelo aquecimento global e a exigência da sociedade por respostas rápidas e efetivas aumentam a necessidade de ações eficientes. No Estado de São Paulo, isso significa gerenciar uma rede enorme de cursos d’água, com funções fundamentais como abastecimento de água, irrigação, produção industrial e drenagem.

Um mapeamento do IGC (Instituto Geográfico e Cartográfico de São Paulo) demonstrou que o Estado tem 330 mil quilômetros de cursos d’água. São mais de oito voltas ao redor da Terra – dos 1.150 quilômetros do rio Tietê ao “corguinho”, com poucos quilômetros de extensão, perto da sua casa. São Paulo possui 282,2 mil km2 de área, dos quais mais de 200 mil km2 são áreas agrícolas, que produzem alimentos e geram empregos e renda para os paulistas.

Para gerir esse quadro e responder ao que deseja a população e ao que o clima vem impondo sem dó, planejamento e eficiência são fundamentais. O Governo de São Paulo tem buscado liderar essa transformação com programas estruturantes.

Um deles é o Rios Vivos, um jeito novo de promover a saúde desse recurso hídrico, incentivando a governança do rio pelo poder público local, mas oferecendo apoio e estrutura por meio do governo do Estado.

Com o Programa Rio Vivos, o DAEE faz a limpeza do fundo dos canais dos rios (desassoreamento), assim como a revitalização de suas margens. A retirada de lixo e sedimentos auxilia no combate a inundações e garante mais água e qualidade de vida para a população. As margens recuperadas se tornam novos espaços de lazer para a cidade. Somente no ciclo 2023/2024, estão sendo investidos R$ 172 milhões no programa, com potencial para melhorar 240 rios, córregos e ribeirões.

Na Grande São Paulo, estamos colocando em operação o Programa Renasce Tietê, olhando o que está no fundo do corpo d’água, mas também a várzea, espaço onde as águas espraiam e que são fundamentais para evitar enchentes – um problema recorrente nas cidades densamente povoadas e altamente impermeabilizadas. As iniciativas incluem limpeza do canal, com a retirada de lixo e sedimentos; monitoramento e controle da qualidade da água; recuperação de vegetação; ampliação dos equipamentos meteorológicos; e criação de áreas verdes. O investimento é de US$ 100 milhões (cerca de R$ 500 milhões na cotação atual).

Temos ainda o Programa IntegraTietê, iniciativa que prevê uma série de medidas de curto, médio e longo prazo, com investimentos de R$ 5,6 bilhões de um conjunto de serviços: ampliação da rede de saneamento básico, desassoreamento, gestão de pôlderes, melhorias no monitoramento da qualidade da água, recuperação de fauna e flora, entre outras medidas. O nome do programa faz alusão à integração entre governo estadual e municipais, iniciativa privada e sociedade civil na melhoria da governança do rio, direcionando recursos aos pontos mais vulneráveis do Tietê. O DAEE faz parte das ações do IntegraTietê.

Aprimorar os serviços de combate a enchentes e cuidar dos rios são os esforços mais imediatos do DAEE e do Governo do Estado para responder ao cenário atual. Um outro eixo estratégico é ampliar a regulação da gestão dos recursos hídricos.

As mudanças pelas quais o DAEE vem passando na jornada para se transformar na SP Águas visam nos tornar cada vez mais preparados para um cenário tão desafiador. Buscamos aproveitar o grande conhecimento e a capacidade que temos dentro de casa e adaptá-los às novas demandas que a população tem trazido.

O desenvolvimento paulista passa pelos nossos rios e, portanto, está totalmente ligado ao DAEE. É motivo de orgulho para nós, assim como demonstração da importância e da responsabilidade da nossa atuação. Temos um longo trabalho pela frente – desafiador, sim, mas para o qual estamos preparados.

Mara Ramos
Superintendente do DAEE
Facebook
Twitter
LinkedIn

+ Notícias 

A pauta foi apresentada em reunião para promover a gestão integrada entre Governo do Estado, prefeituras e entidades da sociedade civil
Reunião discutiu ações que minimizem a ocorrência de alagamentos provocados por chuvas e extravasamentos dos cursos d’água na região.
“O meio ambiente da Região Metropolitana de São Paulo está em festa, comemorando o 37º aniversário da APA da Várzea do Tietê, uma das primeiras áreas de proteção ambiental instituídas pelo Poder Público Estadual”, comemora a Superintendente do DAEE, Mara Ramos.

Precisa de mais informações? entre em Contato

DEPARTAMENTO DE ÁGUAS E ENERGIA ELÉTRICA

Rua Boa Vista, 170 
Sé – São Paulo/SP 
CEP 01014-000

UNIDADES – Diretorias de Bacia

Canal de Denúncia

☏ 11 3293-8463
Funcionamento: 2ª a 6ª feira
das 9h às 17h, exceto feriados
✉ canaldedenuncia@daee.sp.gov.br 

Ouvidoria

☏ 11 3293-8463
Funcionamento: 2ª a 6ª feira
das 9h às 17h, exceto feriados
✉ ouvidoriadaee@sp.gov.br

SIC

Funcionamento: 2ª a 6ª feira
das 9h às 17h, exceto feriados
www.sic.sp.gov.br