Governo de SP entrega 78 novos poços e aumenta a oferta de água de qualidade para 1,2 milhão de pessoas

Medida contribui para a superação de desafios climáticos e para desenvolvimento econômico sustentável

O governador em exercício de São Paulo, Felicio Ramuth, entrega neste Dia Mundial da Água, 22 de março, 78 novos poços de abastecimento, que vão aumentar a oferta de água de qualidade no interior paulista. O investimento é de R$ 85,4 milhões e beneficia cerca de 1,2 milhão de pessoas nas regiões de Araçatuba, Araraquara, Barretos, Bauru, Campinas, Franca, Marília, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba.

A cerimônia acontece na cidade de Santa Lúcia, na região de Araraquara, uma das beneficiadas com o investimento ao receber um poço profundo com capacidade para captar até 87 mil litros de água por hora. O evento contou com a presença da secretária de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística (Semil), Natália Resende, e da Superintendente do DAEE, Mara Ramos.

Em algumas cidades, os novos poços colocam fim ao racionamento de água, enquanto em outras permitirá a expansão de negócios e a geração de empregos, já que o aumento na oferta atende às necessidades de abastecimento da população, do comércio e da indústria. Os poços vão também garantir mais resiliência para esses municípios diante das mudanças climáticas, que têm afetado a ocorrência de chuvas e a disponibilidade hídrica.

As obras foram executadas pelo DAEE, o órgão regulador de recursos hídricos do Estado, vinculado à Semil. Aproximadamente 40 municípios que receberam os poços, também aderiram ao programa UniversalizaSP, inciativa do Governo de São Paulo que prevê que o Estado apoie tecnicamente os municípios a estruturarem modelagens que auxiliem as prefeituras a antecipar as metas de universalização previstas no Novo Marco de Saneamento – 99% da população abastecida com água potável e de 90% atendida com coleta e tratamento de esgoto –; a regionalizar a prestação dos serviços; a incentivar a modicidade tarifária e a atender as áreas rurais e núcleos urbanos informais.

Os poços profundos fazem a captação nos aquíferos (reservas de água doce localizadas nos subterrâneos do Estado). O DAEE faz os estudos, projetos, a perfuração do poço e a instalação de bombas e reservatórios. Após a entrega, as prefeituras e as concessionárias de saneamento desses municípios colocam a estrutura em operação e passam a fazer a distribuição da água e a manutenção dos sistemas, abastecendo os moradores.

“Os novos poços são estruturas importantes para aumentar a capacidade do sistema de abastecimento público, resultando em maior oferta de água para as casas e a atividade econômica das cidades. Contar com uma fonte de água subterrânea, gerenciada de forma responsável, auxilia no enfrentamento às condições climáticas cada vez mais adversas”, destaca Mara Ramos, Superintendente do DAEE.

Os 78 novos poços se somam a outros seis concluídos no ano passado e que já beneficiam os municípios de Bariri e Ubarana (região de Bauru); Cajobi e Cedral (região de São José do Rio Preto); Dracena (região de Presidente Prudente) e Cândido Mota (região de Marília).

Segundo a Diretora de Regulação do DAEE, Sandra Garcia, os equipamentos passam por testes de bombeamento e recebem ligações de energia por parte das prefeituras. “A perfuração de poços viabiliza o abastecimento de água adequado para o desenvolvimento das cidades, incentivando a instalação de novos empreendimentos, fortalecendo a economia e os índices socioeconômicos.”

O Novo Marco do Saneamento (lei 14.026/2020) estabelece que 99% da população tenha acesso à água potável até 2033. Com o programa, o Governo do Estado de São Paulo instala a infraestrutura essencial para que a meta de fornecimento de água seja atingida nas cidades beneficiadas.

O engenheiro responsável pelos empreendimentos, Reinaldo Passerini, destaca que os projetos são baseados em critérios hidrogeológicos e as demandas indicadas pelas prefeituras, assegurando a eficiência das captações. “As análises prévias para instalação dos equipamentos visam possibilitar o bombeamento de água eficaz em aquíferos como Guarani, Bauru, Serra Geral, Cristalino e Tubarão”, explica o engenheiro do DAEE.

De acordo com o Relatório de Recursos Hídricos de 2022 da ONU (Organização das Nações Unidas), 99% da água doce no mundo está no subsolo. A previsão da entidade é que o uso de água subterrânea cresça 1% ao ano até 2030. É fundamental, portanto, fazer o uso responsável desse recurso para que ele continue disponível para as próximas gerações.

 

Poços entregues por região

Confira a lista de 76 municípios beneficiados com os 78 novos poços:

 

Região de Araçatuba

Avanhandava, com população de 11,2 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 24,6 mil litros por hora;

Barbosa, com população de 5,6 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 12 mil litros por hora;

Bilac, com população de 7,3 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 22 mil litros por hora;  

Guararapes, com população de 31 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar até 19,6 mil litros por hora;

Ilha Solteira, com população de 25,5 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar até 13,4 mil litros por hora;

Lavínia, com população de 9,6 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar até 17,9 mil litros por hora;

Mirandópolis, com população de 27,9 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar até 24 mil litros por hora;

Murutinga do Sul, com população de 3,7 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar até 22,5 mil litros por hora;

Santo Antônio do Aracanguá, com população de 8,3 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar até 21,4 mil litros por hora;

Suzanápolis, com população de 3,3 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar até 17,7 mil litros por hora.

 

Região de Barretos

Colina, com população de 18,4 mil pessoas, receberá dois poços: um no bairro Cohab II e o outro na Vila Guarnieri, somando capacidade de vazão de 9.800 litros por hora;

Embaúba, com população de 2,3 mil pessoas, terá poço com capacidade para captar até 15.500 litros por hora;

Guaíra, com população de 32 mil pessoas, terá um poço com capacidade para captar até 335.300 litros por hora;

Monte Azul Paulista, com população de 18,1 mil habitantes, terá poço com capacidade para captar até 8.460 litros por hora;

Olímpia, com população de 55 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 30 mil litros por hora;

Pirangi, com população de 10,8 mil habitantes, terá poço com capacidade para captar até 12,2 mil litros por hora;

Severínia, com população de 14,5 mil habitantes, terá poço para captar até 24 mil litros por hora;

Taiaçu, com população de 5.6 mil habitantes, terá poços para captar até 10 mil litros por hora;

Taiúva, com população de 6,5 mil habitantes, terá poço para captar até 8,4 mil litros por hora;

Vista Alegre do Alto, com população de 8,1 mil habitantes, terá poço para captar até 22,5 mil litros por hora.

 

Região de Bauru

Cafelândia, com população de 16,6 mil habitantes, terá poço para captar até 30 mil litros por hora;

Guaiçara, com população de 11,2 mil habitantes, terá poço para captar até 4,2 mil litros por hora;

Guarantã, com população de 6,4 mil habitantes, terá poço para captar até 26 mil litros por hora;

Igaraçu do Tietê, com população de 23,1 mil habitantes, terá poço para captar até 133,7 mil litros por hora;

Itapuí, com população de 13,6 mil habitantes, terá poço para captar até 150 mil litros por hora;

Reginópolis, com população de 7,6 mil habitantes, terá poço para captar até 36 mil litros por hora.

 

Região de Campinas

Iracemápolis, com população de 21,9 mil habitantes, será beneficiada com dois poços, que juntos terão capacidade para captar 11,1 mil litros de água por hora.

 

Região de Araraquara

Cândido Rodrigues, com população de 2,8 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 6,2 mil litros por hora.

Dobrada, com população de 8,7 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 138,4 mil litros por hora.

Ibitinga, com população de 60 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 21,7 mil litros por hora.

Itápolis, com população de 39,4 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 24 mil litros por hora.

Motuca, com população de 4 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 65 mil litros por hora.

Santa Lúcia, com população de 7 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 87 mil litros por hora.

Tabatinga, com população de 27,6 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 27 mil litros por hora.

 

Região de Franca

Batatais, com população de 58,4 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 150 mil litros por hora;

Cristais Paulista, com população de 9,2 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 12 mil litros por hora;

Ituverava, com população de 37,5 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 154 mil litros por hora;

Morro Agudo, com população de 27,9 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 315 mil litros por hora;

São José da Bela Vista, com população de 7,6 mil habitantes, terá um poço com capacidade para captar até 10,2 mil litros por hora.

 

Região de Marília

Campos Novos Paulista, com população de 4,8 mil habitantes, terá poço para captar até 20 mil litros por hora;

Canitar, com população de 6,2 mil habitantes, terá poço para captar até 109 mil litros por hora;

Chavantes, com população de 12,2 mil habitantes, terá poço para captar até 20 mil litros por hora;

Herculândia, com população de 9,1 mil habitantes, terá poço para captar até 22,1 mil litros por hora;

Ipaussu, com população de 13,7 mil habitantes, terá poço para captar até 30 mil litros por hora;

João Ramalho, com população de 4,3 mil habitantes, terá poço para captar até 33,8 mil litros por hora;

Júlio Mesquita, com população de 4,2 mil habitantes, terá poço para captar até 35,4 mil litros por hora;

Palmital, com população de 19,5 mil habitantes, terá poço para captar até 7,3 mil litros por hora;

Pompeia, com população de 20,1 mil habitantes, terá poço para captar até 10 mil litros por hora;

São Pedro do Turvo, com população de 7,2 mil habitantes, terá poço para captar até 25,7 mil litros por hora;

Vera Cruz, com população de 10,1 mil habitantes, terá poço para captar até 8 mil litros por hora.

 

Região de Presidente Prudente

Irapuru, com população de 7 mil habitantes, terá poço para captar até 23,2 mil litros por hora.

Junqueirópolis, com população de 20,4 mil habitantes, terá poço para captar até 45,6 mil litros por hora.

Ouro Verde, com população de 7,7 mil habitantes, terá poço para captar até 36,7 mil litros por hora.

Pacaembu, com população de 14,8 mil habitantes, terá poço para captar até 26,2 mil litros por hora.

Presidente Venceslau, com população de 35,2 mil habitantes, terá poço para captar até 16 mil litros por hora.

Rancharia, com população de 28,5 mil habitantes, terá poço para captar até 27,1 mil litros por hora.

Tupi Paulista, com população de 15,5 mil habitantes, terá poço para captar até 46,7 mil litros por hora.

 

Região de Ribeirão Preto

Altinópolis, com população de 16,8 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 90 mil litros por hora;

Brodowski, com população de 25,2 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 150 mil litros por hora;

Pitangueiras, com população de 33,6 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 112 mil litros por hora.

 

Região de São José do Rio Preto

Américo de Campos, com população de 5,8 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 8,3 mil litros por hora;

Ariranha, com população de 7,6 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 21,8 mil litros por hora;

Cosmorama, com população de 8,7 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 9 mil litros por hora;

Guapiaçu, com população de 21,7 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 19,8 mil litros por hora;

Ipiguá, com população de 6.7 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 30 mil litros por hora;

Mendonça, com população de 6,1 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 19,4 mil litros por hora;

Mirassolândia, com população de 4,6 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 30 mil litros por hora;

Novais, com população de 4,4 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 25 mil litros por hora;

Paraíso, com população de 6 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 24 mil litros por hora;

Parisi, com população de 2,8 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 7,9 mil litros por hora;

Sales, com população de 6,4 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 30 mil litros por hora;

Santa Adélia, com população de 14 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 13,4 mil litros por hora;

Tabapuã, com população de 11,3 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 12 mil litros por hora;

Uchoa, com população de 10,3 mil pessoas, terá um poço com capacidade de captar 2,6 mil litros por hora.

 

Região de São José dos Campos

Aparecida, com população de 32,5 mil pessoas, terá um poço com capacidade para captar até 24 mil litros por hora.

 

Região de Sorocaba

Cerqueira César, com população de 24,1 mil habitantes, terá poço para captar até 19 mil litros por hora. 

Facebook
Twitter
LinkedIn

Precisa de mais informações? entre em Contato

DEPARTAMENTO DE ÁGUAS E ENERGIA ELÉTRICA

Atendimento ao usuário
(11) 3293-8200

Sede
Rua Boa Vista, 170 
Sé – São Paulo/SP 
CEP 01014-000

Protocolo
Rua Boa Vista, 175 – Sobreloja
Sé – São Paulo/SP 
CEP 01014-000
protocolo@daee.sp.gov.br

REDES SOCIAIS

UNIDADES – Diretorias de Bacia

AÇÕES E PROGRAMAS

Canal de Denúncia

☏ 11 3293-8463
Funcionamento: 2ª a 6ª feira
das 9h às 17h, exceto feriados
✉ canaldedenuncia@daee.sp.gov.br 

Ouvidoria

☏ 11 3293-8463
Funcionamento: 2ª a 6ª feira
das 9h às 17h, exceto feriados
✉ ouvidoriadaee@sp.gov.br

SIC

Funcionamento: 2ª a 6ª feira
das 9h às 17h, exceto feriados
www.sic.sp.gov.br